Como a Metrologia é Utilizada na Produção de Vacinas

Com o surgimento do novo coronavírus, a necessidade de produção de uma vacina rápida, segura e eficaz contra a Covid-19 impulsionou pesquisas para o desenvolvimento de um antígeno capaz de proteger a população mundial. Este artigo retrata o papel da metrologia como ciência aplicada à produção em massa de imunizantes.

De acordo com Folha (2021), no último dia 17 foi aprovado pela Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária – o uso emergencial de duas das vacinas contra a Covid-19 em teste no Brasil, sendo elas a Coronavac e Oxford/AstraZeneca, desta forma, cerca de oito milhões de doses já produzidas no país pelo Instituto Butantan e a Fiocruz serão aplicadas na população selecionada para a primeira campanha de vacinação contra o novo coronavírus.

A produção de vacinas faz parte do setor industrial produtivo onde a metrologia está profundamente difundida: a indústria de fármacos, em especial o setor de imunizantes. 

As vacinas geralmente são aplicadas por meio de injeções, mas também existe a disponibilidade de vacinas administradas por via oral, como a vacina da poliomielite, conhecida como VOP. 

As vacinas podem ser agrupadas em dois grupos: vacinas de microorganismos atenuados, onde o agente (que pode ser um vírus ou bactéria) responsável pela doença são processados em laboratório até que sua atividade seja consideravelmente reduzida, então, quando é aplicada, o organismo responde produzindo células de proteção capazes de identificar e destruir o microrganismo de forma a não desenvolver a doença, devido ao seu enfraquecimento. 

Ainda há a vacina de microorganismos inativos, que possuem fragmentos mortos dos agentes causadores de doenças, também estimulando a resposta imunológica do organismo.

Após o processo de pesquisa, desenvolvimento, testes e liberação dos órgãos reguladores sanitários (no caso do Brasil, a Agência de Vigilância Sanitária – ANVISA), os imunizantes já podem começar a ser fabricados em larga escala e disponibilizados aos sistemas de saúde e distribuidores, nacionais ou internacionais. 

É a partir da produção em massa dos antígenos que a metrologia é empregada em totalidade no processo, através da instrumentação, isso ocorre basicamente porque neste tipo de processo há diversas variáveis que impactam aspectos como segurança química e biológica, qualidade dos produtos, eficiência do processo e performance industrial.

No que se refere à instrumentação, este ramo da metrologia está vinculado principalmente ao uso de dispositivos que têm por finalidade mensurar, analisar, coletar e converter toda forma de variabilidade presente, como por exemplo: temperatura, umidade, vazão, fluxo, pressão, densidade, pH, condutividade elétrica, dentre outras.

Durante as etapas do desenvolvimento do antígeno, as malhas de controle atuam sobre o processo contínuo, verificando as condições que sejam importantes para a automação e o monitoramento do processo de forma a otimizar o fluxo do produto durante seu processamento, garantindo estabilidade. 

Nestas malhas de controle estão presentes vários dispositivos responsáveis por monitorar/processar as variáveis, como os sensores, transdutores, transmissores, controladores e indicadores, bem como atuar sobre o próprio sistema, como válvulas de segurança e de fluxo, atuadores pneumáticos, esteiras, envasadoras, dentre outras. 

Em aspectos mais generalistas, a indústria de antígenos utiliza metodologias e equipamentos muito semelhantes às indústrias de alimentos, bebidas e de outros produtos apresentados em forma líquida, que se diferenciam somente pelo grau de biossegurança exigido devido ao manuseio constante de organismos ativos e inativos em suas plantas de fabricação. 

Os calibradores de processo são peças chave na manutenção dos padrões de referência utilizados por esses dispositivos, sendo responsáveis por calibrar todos os instrumentos que asseguram as medições corretas em todas as etapas de fabricação das vacinas. 

COMPROMISSO PRESYS

Um dos maiores desafios das indústrias farmacêuticas é a inserção de seus processos no escopo da Metrologia 4.0, que utiliza ferramentas da tecnologia da informação aplicadas aos procedimentos de calibração, aquisição, armazenamento e análise de dados, com a finalidade de garantir a qualidade e agilidade na produção de vacinas que salvam milhões de vidas humanas todos os anos.

Neste cenário pandêmico, fica evidente a necessidade da inserção tecnológica das farmacêuticas nos quesitos relacionados à Metrologia e Instrumentação. É por isso que o maior compromisso da Presys é fornecer aos institutos fabricantes de antígenos do Brasil e do mundo toda a tecnologia necessária para a fabricação da vacina contra Covid-19, com seriedade e respeito, orgulhando-se de fazer parte dos esforços no combate ao novo coronavírus.


CANCIAN, N.; MACHADO, R. Por unanimidade, Anvisa aprova uso emergencial de vacinas contra Covid-19. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2021/01/anvisa-forma-maioria-para-aprovar-uso-emergencial-de-vacinas-contra-covid.shtml>. Acesso em: 19. Jan. 2020.

2 respostas para “Como a Metrologia é Utilizada na Produção de Vacinas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *